GUSTAVO ROMANO cyberzoo

virus_canabis1

Gustavo Romano, “Arte e vida artificial”. Espacio Telefónica, Madri, maio de 2012.

 

 

CYBERZOO O PRIMEIRO ZOOLÓGICO DEDICADO À VIDA ARTIFICIAL

GUSTAVO ROMANO >>>

 

CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

Os zoológicos têm objetivos como a investigação, reprodução e conservação de espécies que estão ameaçadas de extinção.

Neste sentido o CyberZoo está repleto de programas internacionais de reprodução em cativeiro de espécies ameaçadas e participa em diferentes projetos de recuperação e reintrodução de vida artificial.

 

AS IDEIAS UTILIZAM O SER HUMANO PARA SE REPRODUZIREM

Conservar a vida, tanto natural como artificial, em especial daquelas espécies mais representativas do habitats ameaçados de toda a Terra deve ser o primeiro objetivo de todo zoológico moderno.

Passados os conflitos da biosfera para os da infosfera: este será o novo cenário de luta pela sobrevivência.

A nova ecologia da informação implica novas responsabilidades para a tarefa do conservacionista e do aficionado por biodiversidade.

Será neste ecossistema onde se desenvolverão as mais diversas formas de vida artificial. Porém como defini-las? Como classificá-las?

O escritor e naturalista pós-moderno William Burroughs afirmava que a palavra é literalmente um vírus que não foi reconhecido como tal por ter conseguido um estado relativamente estável de simbiose com seu portador humano.

Para o zoólogo Richard Dawkins, as ideias-genes devem ser olhadas como estruturas viventes, não apenas metaforicamente, mas tecnicamente. “Quando se planta uma ideia fecunda na minha mente, literalmente meu cérebro é parasitado, convertendo-se em veículo para a propagação da ideia, da mesma maneira que um vírus pode parasitar o mecanismo genético de uma célula do hospedeiro.”

 

DEUS É UM VÍRUS

Para este zoólogo inglês, autor do livro “O gen egoísta”, Deus verdadeiramente existe, ainda que apenas como um padrão em estruturas do cérebro reproduzido pelas mentes de milhões e milhões de pessoas pelo mundo todo.

Porém não são só ideias-genes que se propagam compulsivamente: Entre as figuras mais conhecidas que se sentiram atraídas pelas ideias de Dawkins se encontram o pai da nanotecnologia, Eric Drexler assim como Richard Brodie. Brodie é apontado como assistente técnico de Bill Gates e autor da versão original do Microsoft Word. Poderíamos nos perguntar se a reprodução dessa contagiosa praga de informação não deve ser comparada a de uma praga deslocando outras espécies de seu habitat natural e se fazendo, então, presa de outros tantos, porém pequenos, predadores, mais conhecidos como vírus de computador.

 

A ARTE COMO RESERVATÓRIO DE VÍRUS LATENTES

Enquanto a comunicação é o lugar natural do contágio de toda a vida artificial, a desigual evolução de cada mídia nos põe em confronto com novos desafios na hora de abordar a tarefa de classificar as distintas espécies e de detectar aquelas que se encontram em perigo. Quais são as espécies promovidas pela televisão? Quais são armazenadas e quais são apagadas da internet? Quais mimetizam como espécies inofensivas para disseminarem-se livremente através do meio cultural? Quais reagem à censura desatando seu lado mais virulento?

Mas, além do contágio direto (de cérebro a cérebro) existem outras formas de propagação: são aquelas que se baseiam na reprodução além do portador humano. Peças de informação que jazem adormecidas (como os hieróglifos egípcios) em textos escondidos ou intraduzíveis, ou bem encriptadas em imagens, esperando ser reativadas para infectar futuros portadores.

A arte é, então, historicamente o lugar escolhido para as formas de vida mais radicais a fim de superar os limites impostos pela morte de um portador humano e, portanto, o perigo de sua própria extinção.

 

CYBERZOO TOUR

O CyberZoo permite, na segurança de vosso PC, experimentar os mais selvagens vírus de computador enjaulados em nosso servidor. Entrar no Cyberzoo >>> 

O MUSEU DO MALWARE

MIKKO HYPPONEN >>>

O Museu do Malware é uma coleção de malwares, normalmente vírus, que foram distribuídos nos anos 1980 e 1990 em computadores domésticos. Uma vez infectado, o sistema poderia às vezes mostrar animações ou mensagens que diziam “você foi infectado”.  Através de emuladores e consequente remoção de qualquer rotina destrutiva desses vírus, essa coleção permite que você experimente uma infecção viral de décadas atrás com segurança. Entrar no museu >>>

virus_canabis

COFFSHOP.COM vírus destrutivo para MS-DOS e sua mensagem.

ALGUNS VÍRUS DO CYBERZOO TOUR >>>

W32/Magistr-A

Vírus arquivo executável W32 (2001)

W32/Magistr-A é um vírus polimórfico que afeta os sistemas Windows de 32 bits e se estendem infectando arquivos também via e-mail. O Magistr incorpora uma carga explosiva perigosa que, se ativada, pode apagar todos os arquivos do computador infectado e de toda a rede, destruindo a informação contida no CMOS além de apagar o BIOS do computador.Se o computador permanece infectado por mais de um mês, nos dias ímpares, ícones do desktop serão alterados.

 

PLAGE2000

arquivo executável PE (2000)

O vírus procura por mensagens de e-mail não lidas e envia uma resposta automática em que se autoenvia para infectar uma nova vítima. O vírus tem o ícone do WinZip e passou por um arquivo .ZIP. Finalmente, se o “Plage” é executado em uma quarta-feira às duas da manhã e o usuário infectado tem controles de classe de compiladores de Borland (feito raro), aparecerá na tela uma imagem com a aparência de grafitti em que se pode ver o rosto de Adolf Hitler com uma pistola na boca e o slogan: SIGA SEU LÍDER.

 

Virus Marburg

Vírus arquivo executável Windows 95 (Espanha/1998)

Para evitar a infecção do mesmo arquivo duas vezes, o vírus vai aumentar o tamanho de cada arquivo infectado para um número divisível por 101. Não infecta qualquer arquivo cujo nome contém um V, aparentemente para evitar programas antivírus. Preencherá a tela com o ícone usado em mensagens de erro do Windows 95. O Marburg podia ser encontrado em um dos CD-ROM incluído na edição de julho de 1998 da revista PC Gamer, na versão inglesa. Marburg BioCoded by Griyo /29A

 

Vírus HPS

Síndrome Pulmonar por Hantavirus (HPS) Vírus BioCoded por Griyo/29A (Espanha/1998)

Win95/HPS é um vírus residente infector de arquivos *.exe, *.scr  32 bits no ambiente do Windows 95/98. Na primeira vez que um arquivo infectado for executado o vírus acessa o KERNEL do sistema localizando a direção de memória de algumas funções críticas para o vírus. Win95/HPS é um retrovírus, para evitar ser detectado por um verificador de integridade e apagar os arquivos: ANTI-VIR.DAT (TBAV) CHKLIST.MS (MSAV) AVP.CRC (AVP) IVB.NTZ (Invircible). O vírus é ativado nos dias de sábado e inverte o conteúdo de todos os arquivos *.BMP que forem abertos, sempre e quando  não se encontrarem comprimidos. A CNN noticiou: “Um vírus é capaz de infectar o Windows98 antes do lançamento oficial deste produto para o mercado.”

/tradução de thadeu c santos

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s